Entenda as diferenças entre

AVC

X

INFARTO

Conheça Angélica, uma filha dedicada que sempre busca ajudar e cuidar bastante dos pais. Hoje iremos descobrir e aprender junto com ela as diferenças entre AVC e Infarto e como podemos ficar atentos à segurança de quem amamos. 

COMEÇAREMOS COM AS DEFINIÇÕES

Para sempre ficarmos atentos aos sintomas e formas de ajudar, antes de tudo é muito importante saber do que se trata e como a medicina define cada uma das doenças. Por isso, o primeiro passo que Angélica buscou aprender foi entender o que seria cada uma das doenças e seus fatores de risco. 

Você sabe o que é um AVC?

Clique para ler mais »

Você sabe o que é um infarto?

Clique para ler mais »
  

O QUE É UM AVC?

O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma emergência médica e quanto mais rápido for tratado, maior a chance de recuperação.

Portanto, em caso de qualquer sintoma neurológico súbito, é imprescindível procurar o pronto-socorro com urgência.

A maioria dos casos de AVC poderão ser tratados apenas nas primeiras quatro horas e meia do início dos sintomas e apenas alguns terão a possibilidade de serem tratados na janela estendida de 24h.

  

O QUE É UM INFARTO?

O infarto agudo do miocárdio, também conhecido como infarto do coração, é resultado do entupimento das artérias coronárias que são responsáveis pela nutrição das células cardíacas. Quando isso acontece, falta oxigênio e sangue para o tecido cardíaco, gerando uma morte celular e, consequentemente, perda da força de contração do coração (doença chamada insuficiência cardíaca). Em casos mais graves, pode ocorrer uma arritmia, ou seja, o mal funcionamento do sistema elétrico do coração, podendo levar a morte súbita.

O QUE ANGÉLICA PRECISA OBSERVAR?

Agora que ela já sabe a diferença entre as duas doenças, é importante entender e sempre ficar atenta aos sintomas. Então, é hora de descobrir o que ela precisa observar!

SINTOMAS DE INFARTO

Dor no peito associada à sensação de falta de ar
Sensação de coração acelerado
Mal-estar
Perda de consciência
FORMA PRÁTICA DE DETECTAR

Fatores de risco como diabetes, pressão alta, colesterol alto, tabagismo e falta de exercício físico, propiciam, silenciosamente, algum grau de obstrução das artérias, por acúmulo de cálcio, colesterol e inflamação que, aos poucos, levam a lesões nas paredes das artérias (placas ateroscleróticas), que vão predispor à ocorrência de um evento súbito, o infarto agudo do miocárdio.

 

A obesidade e o estresse diário também podem causar um infarto, por isso deve-se prezar pela qualidade de vida praticando atividades físicas, cuidando da alimentação, da saúde mental e fazendo acompanhamento médico. 

back
Voltar aos sintomas

SINTOMAS DE AVC 

Fraqueza em um lado do corpo ou membro
"Boca torta" e dificuldade na fala
Distúrbios visuais
Instabilidade de marcha
Tonteira
Dor de cabeça súbita e intensa
Perda ou redução da consciência

Técnica SAMU: sorria, abrace, música e urgente

Sorria
Abrace
Música
Urgente

Basta solicitar ao paciente que sorria (S), abrace (A) e pronuncie uma frase ou cante uma música (M). Caso seja observado que a boca encontra-se torta e/ou que os braços não se levantam adequadamente e/ou que o paciente não consegue pronunciar as frases adequadamente, o SAMU deve ser acionado, pois pode se tratar de um AVC.

back
Voltar aos sintomas

DENIFININDO CENÁRIOS

Tanto a Angélica quanto você já sabem reconhecer o que está acontecendo a partir dos sintomas. E então, qual a próxima ação? Descubra definindo seu cenário:
CLIQUE AQUI

CASO SEJA AVC

CLIQUE AQUI

CASO SEJA INFARTO

AVC

PROTOCOLOS DE ATENDIMENTO 

Rapid

No caso do acidente vascular cerebral o tempo é fator relevante, pois quanto mais rápido o atendimento maiores são as chance de recuperação completa, diminuindo a mortalidade. Pensando nisso, a Rede Mater Dei de Saúde adquiriu o software RAPID, que integra e amplia a janela terapêutica do protocolo de Acidente Vascular Cerebral (AVC) adotado pela Rela Mater Dei.

 

Pioneira na implantação do software em Minas Gerais, a Rede Mater Dei de Saúde reforça seu compromisso com a qualidade pela vida, visando um atendimento humanizado e personalizado. O software, acoplado aos tomógrafos, permite uma avaliação rápida, segura e precisa da área cerebral que ainda se encontra na penumbra isquêmica, estágio em que ainda não houve morte neuronal, e que pode ser recuperada, proporcionando mais oportunidade e opções de tratamento para os pacientes e um suporte essencial para a melhor decisão clínica dos médicos.

back
Voltar à definição de cenário 

Além disso, a Rede Mater Dei de Saúde, referência no tratamento das patologias cardiológicas, neurológicas e neurovasculares, possui a UCV - Unidade Cardiovascular, que engloba as Unidades Coronariana, de AVC e Pós-operatória. Inserida em uma estrutura hospitalar completa, com atendimento multidisciplinar, a UCV enfatiza a constante busca da Rede em oferecer o que há de melhor em assistência médico-hospitalar.

Como é o Tempo Porta-agulha para AVC isquêmico

  1. Paciente chega ao pronto-socorro do Hospital;
     
  2. No atendimento inicial há a suspeita de AVC, uma equipe especializada é notificada sobre a situação do paciente;
     
  3. Rapidamente uma tomografia computadorizada é realizada e o diagnóstico dado a partir dos resultados do exame;
     
  4. Aplicação da trombólise endovenosa e outras intervenções de acordo com o diagnóstico.

Tempo Porta-agulha com o Software

  1. Paciente chega ao pronto-socorro do Hospital ou o Paciente pode estar em outro serviço de saúde, mas que não tenha a estrutura da Rede para tratamento de AVC;
     
  2. Paciente no PS da Rede: No atendimento inicial há a suspeita de AVC, uma equipe especializada é notificada sobre a situação do paciente;
     
  3. Rapidamente uma tomografia computadorizada é realizada e o diagnóstico dado a partir dos resultados do exame ou a equipe, no caso de pacientes externos, recebe a tomografia realizada em outro hospital e faz o diagnóstico e se estuda o tratamento enquanto o paciente é transferido para um dos hospitais da Rede;
     
  4. Em tempo real, a equipe já recebe em seus dispositivos móveis, o resultado do exame do paciente com a análise feita pelo software divididas por cores. Em vermelho, a área já “isquemiada”, ou seja, que não tem chance de recuperação. As demais cores demonstram as áreas do cérebro sem morte neural, podendo ser recuperadas;
     
  5. Aplicação da trombólise endovenosa e outras intervenções de acordo com o diagnóstico.
INFARTO

O QUE PODE E NÃO PODE FAZER?

Ao aparecem os primeiros sintomas, chame socorro ou dirija-se a um hospital imediatamente. Quanto maior a demora, maior o risco. Se você está ajudando alguém com suspeita de infarto, tome algumas precauções enquanto espera por ajuda médica:

  • Afrouxe as roupas da vítima e impeça que ela faça esforços;
  • Não ofereça nada de comer ou beber e nem calmantes;
  • Se a pessoa desmaiar, veja sua respiração e seu pulso. Na ausência desses sinais vitais, é preciso começar imediatamente as manobras de ressuscitação cardiopulmonar;

Caso a vítima seja você, o indicado a fazer é: Procurar ajuda para o rápido transporte a um hospital. Não dirija.

back
Voltar à definição de cenário 

PROTOCOLOS DE ATENDIMENTO 

Tempo Porta Balão

O número mede a qualidade e a efetividade do atendimento à vítima de infarto. É o intervalo entre a entrada do paciente no Pronto-socorro até o cateterismo, procedimento de desobstrução da artéria do coração. Esse tempo vai determinar a saúde do músculo cardíaco irrigado pela artéria infartada. Um adequado tempo porta balão restabelece a oxigenação deste músculo impedindo sua morte.

 

Os Prontos-socorros da Rede Mater Dei de Saúde medem esse tempo, entre a chegada do paciente com suspeita de infarto até desobstrução da artéria pela equipe médica. Os números da Rede são compatíveis aos melhores do mundo. A média mundial do intervalo entre a entrada do paciente no PS até a desobstrução é de 90 minutos. A média do último trimestre de 2019 na Rede foi de 77 minutos.